A inflação atingiu em janeiro o maior nível em quase oito anos. No caso da inflação ficar fora do controle, a política monetária do Banco Central (BC) deverá ser revista. Especialistas afirmam que, em detrimento disso, o viés de queda da taxa de juros pode ser interrompido e até reajustes devem ser considerados nos próximos meses. Atualmente, as taxas de juros estão no menor nível da história (a taxa Selic está em 7,25% ao ano).

De acordo com a Agência Brasil, no mês passado, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,86%, na maior variação mensal desde abril de 2005. A inflação de dezembro também foi expressiva (0,79%). Dessa forma, o IPCA acumulado em 12 meses passou para 6,15%, contra inflação de 5,84% registrada em todo o ano passado.

Crédito – Conforme o BC, o estoque total de crédito do sistema financeiro, computadas as operações com recursos livres e direcionados, alcançou R$2.360 bilhões em dezembro e acumulou crescimento de 16,2% no ano. O índice ficou menor que os anos anteriores (19% em 2011 e 20,6% em 2010).

O crédito ao setor privado, impulsionado pelos aspectos sazonais do período, alcançou R$2.241 bilhões no final de 2012, com expansões de 2,1% no mês e 15% no ano e correspondeu a 95% do saldo total de crédito do sistema financeiro. As operações destinadas ao comércio, evidenciando a demanda de crédito por lojas de departamento, totalizaram R$ 227 bilhões, registrando elevação mensal de 2,4%. Os financiamentos para a indústria alcançaram R$462 bilhões, após acréscimo de 1,2% no mês, com relevância para operações contratadas pelos segmentos de extração mineral, agroindústria e automotivo.