A quantidade de pessoas que procurou crédito cresceu 5,3% em abril de 2013 em relação ao mês imediatamente anterior. Foi o segundo mês consecutivo de aumento na procura do consumidor por crédito (em março/13 a alta foi de 11,3% em relação a fevereiro/13) e, na comparação com o mesmo mês do ano passado, o crescimento foi de 17,5%, o maior ritmo anual desde julho de 2011. No acumulado do ano, a procura do consumidor por crédito cresceu 8,7% frente ao primeiro quadrimestre de 2012.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, o recuo da inadimplência do consumidor e a manutenção de uma dinâmica favorável do mercado de trabalho vêm estimulando uma recuperação gradativa da demanda do consumidor por crédito, iniciada no último trimestre do ano passado (alta de 5,9% em relação ao 4º trimestre de 2011), e que se manteve nesta mesma tendência durante os primeiros quatro meses de 2013.

A maior taxa mensal de crescimento da demanda do consumidor por crédito ocorreu na faixa de renda de quem ganha até R$ 500 por mês (alta de 6,8% frente ao mês de março/13). Todas as demais faixas de rendimentos mensais exibiram amentos próximos a 5% na procura por crédito em abril/13.

No acumulado do ano (janeiro a abril de 2013) também são os consumidores de baixa renda (ganhos até R$ 500 mensais) que mais estão expandindo as suas demandas por crédito: alta de 15,3% frente aos primeiros quatro meses de 2012. Em seguida, com expansão de 11,0%, estão os consumidores que recebem entre R$ 500 e R$ 1.000 mensais.

Por outro lado, as menores taxas de expansão da demanda do consumidor por crédito neste primeiro quadrimestre do ano estão concentradas nas camadas de maiores rendas da população: altas de 2,6% para quem ganha entre R$ 5.000 e R$ 10.000 mensais e crescimento de 3,9% para os consumidores com rendas superiores a R$ 10.000 mensais.

Análise por região – As regiões Norte e Nordeste foram o destaque na demanda do consumidor por crédito em abril/13: altas de 8,2% e de 13,8%, respectivamente, na comparação com março/13. No Sul a alta foi de 5,0%, no Centro-Oeste de 3,3% e no Sudeste de 2,5%, sempre em relação ao mês de março/13.

Também no primeiro quadrimestre de 2013, os maiores crescimentos da demanda por crédito ocorreram nas regiões menos desenvolvidas do país, Norte e Nordeste, com altas de 19,0% e de 16,0%, respectivamente, em relação aos primeiros quatro meses de 2012. Na região Sudeste a expansão foi de 6,8% ao passo que nas regiões Sul e Centro-Oeste, as demandas dos consumidores por crédito destas regiões cresceram 6,2% e 4,4%, respectivamente.

Comportamento do consumidor – Outro estudo divulgado nesta semana sobre o comportamento do consumidor traz dados interessantes. Mais dinheiro na conta não significa melhor comportamento financeiro. Esta foi uma das conclusões do Indicador Serasa Experian de Educação Financeira do Consumidor. O Indicador verifica três dimensões: o Conhecimento, a Atitude e o Comportamento do brasileiro no que se refere às finanças pessoais e familiares. Pessoas que ganham mais de dez salários mínimos mensais foram avaliadas com nota 5,1 no subíndice Comportamento, enquanto aquelas que recebem um salário mínimo alcançaram 5,0: configurando um empate técnico.