Controle de quitações de veículo: pagar as prestações ou quitar de uma vez?

Controle de quitações de veículo

Sua empresa aceitou um veículo de troca, que está financiado, e agora a loja precisa arcar com o valor faltante para a quitação do bem? Então, uma pergunta que você deve estar se fazendo é: valeria a pena cumprir a quitação do veículo de uma vez ou é melhor pagar as prestações de financiamento mensalmente?

Essa é uma dúvida comum cuja resposta não é tão simples de alcançar. Na realidade, tudo vai depender do objetivo da empresa e de sua situação financeira de momento para a quitação de veículo.

Ficou curioso? Então leia o texto a seguir!

Por que devo quitar tudo de uma vez?

Ninguém gosta de se ver preso a longas prestações ou a um grande prazo de pagamento. Quando se trata da gestão de uma empresa, então, o assunto fica ainda mais complexo. Por essa razão, é normal escutarmos que, caso tenha o dinheiro disponível, é melhor quitar qualquer empréstimo.

Essa frase não deixa de ser verdade: pagar adiantado algumas ou todas as parcelas de um financiamento pode trazer diversos benefícios para a sua empresa.

A principal vantagem de quitar qualquer financiamento antes do prazo é o abatimento de juros e outros encargos. Isso porque, uma vez que ele está sendo pago adiantadamente, as taxas incidentes sobre a transação se tornam bem menores.

Sua loja poderá economizar uma boa quantia ao pagar todo o valor à vista.

Quando não quitar minha dívida?

Em alguns cenários, no entanto, não é conveniente fazer logo a quitação de veículo, mesmo com o valor disponível.

Esses casos são encontrados, principalmente, quando o valor da parcela não interfere de forma demasiada no planejamento financeiro de seu estabelecimento.

Para saber se vale mesmo a pena pagar logo suas prestações, é importante fazer o cálculo dos juros incididos no empréstimo.

Por exemplo, se a empresa investe seus recursos em algumas ações, e o valor dos juros incididos sobre as parcelas for menor do que o daqueles investimentos, é mais vantajoso pagar as prestações conforme o passar do tempo.

Além disso, uma boa situação financeira para a organização infere em uma conta com dinheiro disponível para emergências ou melhorias dentro do próprio negócio. Por essa razão, guardar o dinheiro ou pagar adiantado apenas parte das parcelas, por exemplo, pode ser uma boa ideia.

Como fazer a análise para a quitação de veículo?

Vamos supor que foi realizado um empréstimo no valor de R$ 150 mil para a compra de um automóvel. Este empréstimo tem parcelas de R$ 2 mil, ao longo de 75 prestações.

Após alguns meses, a pessoa troca de carro em sua loja de veículos. O comprador, por sua vez, a loja, ficará com as despesas do automóvel. A empresa, no caso, tem um bom fluxo de caixa e dispõe de uma quantia razoável, que é investida tanto em sua infraestrutura quanto em ações do mercado.

Agora vamos supor que aquelas ações rendam cerca de 0,7% ao mês, ao passo que a incidência de juros no financiamento do automóvel é de 1,5% mensais.

Nessa situação, o rendimento da quantia seria quase a metade dos juros incidentes a cada mês. Assim, não seria nem de longe vantajoso deixar de lado a quitação de veículo. É muito mais fácil e prático que a loja não pague aqueles juros, movimentando seu dinheiro aplicado para fazê-lo.

É preciso ter um planejamento financeiro rígido e detalhado para saber se o seu negócio, mesmo com uma dada quantia disponível, tem como pagar a dívida em questão de uma só vez. Faça uma avaliação sobre os meses posteriores, se tem como arcar com as despesas emergenciais e programadas.

A quitação de veículo é importante e deve ser analisada e programada. Por isso, ter um controle de quitações de veículo é essencial. Esse texto o ajudou a tomar uma decisão? Então compartilhe-o em suas redes sociais!