Muitos não sabem, mas a real nota fiscal eletrônica (NF-e) é o arquivo é o arquivo .XML (Extended Markup Language) que retorna da Receita Estadual. Ele deve ser cuidadosamente guardado pela empresa. Dessa forma, os armários e estantes dão lugares ao computador. É imprescindível que esses arquivos fiquem armazenados por cinco anos, conforme manda a legislação. A regra não vale apenas para as NF-e emitidas, mas também as recebidas dos fornecedores.

O processo de emissão e armazenamento de NF-e da solução Revenda Mais é bastante simples. Com poucos cliques, é possível emitir a nota fiscal e gerar a Danfe, sem correr o risco de perder o arquivo .XML da nota. Os arquivos ficam armazenados no sistema com cópias no Brasil e nos EUA. Uma das maiores vantagens do armazenamento eletrônico das NF-e está na redução de custos de armazenagem de documentos fiscais. Conforme o portal NF-e, do governo federal, a redução de custo abrange não apenas o espaço físico necessário para adequada guarda de documentos fiscais como também toda a logística que se faz necessária para sua recuperação. O custo do arquivamento digital é muito menor do que o custo do arquivamento físico.

Além disso, a flexibilidade da solução Revenda Mais está na possibilidade de emitir e consultar as notas fiscais de qualquer computador, sem ficar condicionado à existência certificados digitais de cartão, que obrigam a emissão de apenas um computador. Para se ter uma ideia de como as NF-e estão difundidas no país, até esta terça-feira (22), foram autorizadas 6,12 bilhões de NF-e. O número de emissores chega a mais de 846 mil.

Atenção! O emissor gratuito de NF-e da SEFAZ será descontinuado em Janeiro de 2017. Leia aqui nosso post com mais informações.