contrato de compra e venda de veículos

Como fazer um contrato de compra e venda de veículos?

Comprar ou vender bens de valores altos, como um veículo, envolve a necessidade de se ter cautela e também um bom contrato de compra e venda de veículos. Nesse contexto, uma das primeiras preocupações nessas situações acontece no momento de assinar o contrato. Afinal, é ele quem garante a certeza do combinado.

Portanto, o contrato de venda de veículos merece cuidados especiais e muita atenção. Quer saber como certificar-se que você se manterá longe de enganos e que não arrumará problemas com a venda? Então, continue a leitura e descubra os pontos com os quais você deve tomar cuidado antes de fechar negócio. Continue a leitura!

1. Defina bem o objeto

Em um contrato de compra e venda de veículos, a maior preocupação está em se definir o que está sendo vendido/comprado.

Como assim? Não é um carro? Sim, é um carro. Mas não é qualquer carro! É necessário especificar o veículo e suas condições. Isso se torna ainda mais problemático quando pensamos na negociação de carros usados, que devem detalhar o estado do veículo.

2. Estabeleça preço e forma de pagamento

Outro ponto importantíssimo no contrato de venda de veículos é apontar bem o preço. Isso é dificilmente esquecido, mas nunca é demais lembrar.

O ponto sensível nessa questão é definir como o veículo será pago e em quais condições. Além disso, é interessante pensar em como potenciais conflitos serão resolvidos se houver atraso no pagamento, por exemplo. Para tanto, pense em estipular multas ou outras penalidades.

3. Esclareça a responsabilidade do vendedor

Via de regra, o combinado não sai caro. Pensando nisso, uma cláusula que costuma dar sossego às partes é aquela em que a responsabilidade de cada um é limitada.

Por isso, um ponto importante no contrato de venda de veículos é estipular qual a responsabilidade do vendedor em caso de problemas ou avarias do carro. Estipule também quando e onde o veículo deverá ser entregue ao comprador.

4. Defina um prazo para notificação de problemas

Para o caso de haver algum problema com o veículo vendido, é importante estipular um prazo para que o comprador possa notificá-lo ao vendedor.

Assim, previne-se o vendedor de ter um probleminha sanável no veículo que, pelo decorrer do tempo e do uso, se tornam um problemão, elevando os custos.

5. Entenda a transferência da propriedade

Bens móveis, como os carros, normalmente são transferidos no momento da entrega.

Contudo, é comum que os contratos se afastem desse padrão. Você pode estipular, por exemplo, que a transferência só ocorrerá quando a última parcela do pagamento for feita.

6. Peça documentos

Por último, vale lembrar da necessidade de o contrato trazer alguns importantes documentos. Antes de mais nada, os documentos de propriedade são essenciais.

Contudo, uma pessoa precavida pediria certidões negativas de multa expedidas pelo DETRAN. E nada impede que conste no instrumento contratual uma cláusula que diga quem deve pagar as eventuais multas, impostos e taxas que estiverem em aberto no momento da negociação.

Viu só? Escrever um contrato de venda de veículos exige atenção especial aos pontos que mencionamos aqui. Para mais dicas para melhorar seu negócio cada vez mais, assine nossa newsletter e fique por dentro de todo o nosso conteúdo!