4 dicas para melhorar a gestão fiscal da sua loja de veículos

Ser dono da própria loja de veículos não é uma tarefa tão simples, e inúmeras preocupações acabam norteando a rotina do empreendedor, desde o planejamento do negócio até a escolha do regime tributário adequado. Com o excesso de obrigações tributárias e fiscais, várias ideias acabam não saindo do papel e deixam de ser uma excelente oportunidade de negócio.

Muitas lojas de veículos, por terem dificuldades em escolher o regime tributário adequado, acabam pagando mais impostos do que o necessário e o resultado não poderia ser diferente: despesas e prejuízos, podendo até levar à derrocada do negócio.

Uma má gestão fiscal pode comprometer o funcionamento das empresas e fechar as portas antes mesmo dos três primeiros anos de vida, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Portanto, manter uma boa gestão fiscal é fundamental para evitar riscos de sonegação de impostos e problemas futuros para a loja de veículos. Pensando nisso, elaboramos algumas dicas para melhorar a gestão fiscal do seu negócio. Continue lendo!

1 – Realize um planejamento tributário e auditorias

Com a alta carga tributária e a elevação dos custos, conhecer a legislação e trabalhar no desenvolvimento de um planejamento tributário eficiente é um dos diferenciais que pode garantir a redução dos tributos incidentes e, até mesmo, garantir a sobrevivência da empresa.

Por isso, avalie a situação fiscal e legal da sua loja de veículos, identifique o que a empresa pretende implementar a curto, médio e longo prazo. Com essas informações em mãos, é possível elaborar um bom diagnóstico para o próximo ano e programar as competências que devem ser pagas.

Além disso, um bom planejamento tributário possibilita ao gestor entender o quanto de lucro a empresa tem e qual seria a melhor maneira de ser tributada, de forma que não pague impostos nem a mais nem a menos. Assim, é possível diminuir os encargos tributários de forma legal, levando em consideração o enquadramento fiscal mais adequado para a empresa.

2 – Utilize os benefícios fiscais

Considere como possibilidade a utilização de alguns benefícios fiscais disponibilizados pela legislação tributária para o ramo de atuação.

Nos últimos anos, o governo federal vem investindo em empresas brasileiras através de projetos para inovação tecnológica, pesquisa e desenvolvimento. Quando a empresa é beneficiada com esses projetos, ela tem a cobrança de tributos reduzida, o que acaba sendo uma ótima oportunidade de crescimento e estímulo ao desenvolvimento do setor.

Mas é preciso que o empreendedor tenha em mente a necessidade de revisar os procedimentos operacionais para buscar sempre opções que possam ser aplicadas ao tipo de setor.

3 – Escolha o regime de tributação adequado

Através de um bom planejamento tributário é possível saber qual o regime de tributação é mais adequado para a empresa: lucro real, lucro presumido e Simples Nacional. Cada um deles tem suas próprias características, portanto é fundamental que, ao escolher o que mais se adéqua ao seu tipo de empresa, o empreendedor leve em consideração toda a documentação fiscal e contábil, estude com cuidado a legislação, e tenha noção da margem de lucro e dos gastos da empresa. Apenas assim ele terá uma base de cálculo significativa para o cálculo do melhor regime tributário.

Além disso, é preciso realizar simulações com base no diagnóstico levantado da real situação da empresa, comparando todas as formas de tributação e considerando os possíveis benefícios fiscais disponibilizados pela legislação e outros ganhos tributários obtidos legalmente.

4 – Automatize os processos fiscais

Manter a gestão fiscal eficiente de uma loja de veículos exige que o gestor invista em um bom sistema de automatização dos processos fiscais e tributários, de forma a evitar erros com registros e lançamentos manuais e manter integradas todas as obrigações que envolvem o negócio.

Além disso, um software de gestão fiscal simplifica e monitora as obrigações acessórias que devem ser elaboradas e transmitidas, permitindo um controle e acompanhamento eficiente, com informações mais precisas, e longe de erros que possam comprometer o negócio e colocar em risco a empresa diante do Fisco.

E então, gostou do nosso post? Compartilhe-o nas suas redes sociais e ajude a divulgar nosso conteúdo!

 

Atenção! O emissor gratuito de NF-e da SEFAZ será descontinuado em Janeiro de 2017. Leia aqui nosso post com mais informações.